segunda-feira, 24 de novembro de 2014

MINERAÇÕES

MINERAÇÕES
____________________________________

MINERAÇÕES

Tudo depende só do veio que escavo:
Olho a cor e a dureza em cada rocha, 
Onde à marreta, ponteiro e brocha
Busco extrair da pedra seu pó flavo.

Assim as palavras com que me agravo:
Jazem na escuridão até que a tocha
As faz brilhar na cava que se arrocha
Como ao duro labor do Rei-escravo.

Após vem a lavagem no garimpo,
Cujo paciente afã, um ouro limpo
Pesa, por fim, no prato da balança.

Seja, pois, o verso tão rútilo quanto!
E haja na sua glória todo o encanto
Da verdade e beleza que se alcança.

Betim - 24 11 2014