quarta-feira, 25 de março de 2015

ESTE AMOR

ESTE AMOR
____________________________________

ESTE AMOR


Por vezes amo qual eu não amasse;
Como se não sentisse isso que sinto.
E finjo não amar, ou melhor, minto
P'ra não verem amor em minha face.
Ainda que eu d'amor não me calasse,
Antes falasse, ao menos, mais sucinto!
Ao invés de feito cego em labirinto
Por qualquer vã saída eu palmilhasse...
Contudo, eu amo. Eu te amo sem razão,
Sem esperança e até sem ilusão
De que um dia esse amor faça sentido.
Sim, eu te amo... A despeito de que me ames.
E, ignorando dos sábios os ditames,
Mais saberes no amor tenho vivido.
Betim - 24 03 2015