segunda-feira, 2 de março de 2015

ANTIGUIDADES


ANTIGUIDADES
____________________________________

ANTIGUIDADES

Aqui e ali busco àquele que fui
Em deixas a este que hoje me tornei.
Não mais que escritos: Muito pouco, eu sei...
Embora possa ver quanto a obra intui.

De mim para mim, algo se institui
Como se patrimônio que me herdei
Pela magnificência d’algum rei
Cujo velho palácio, entanto, rui.

Relíquias ou memórias, guardo há anos
Para me cotejar os desenganos,
À medida que apenas envelheço.

Visto que -- nem mais hábil; nem mais sábio --
Pude me constatar lendo o alfarrábio
Em cujas letras vãs me reconheço.

Betim - 12 01 2008