sábado, 24 de junho de 2017

O DESAFECTO

O DESAFECTO

Que maçada! Rever quem não quero ver...
Quem me fez chorar lágrimas amargas!...
Tanto fez que me fez burro de cargas
Ainda qu'eu tardasse a perceber.

Este -- tão fastidioso e inútil ser! --
Se orgulhava de ter as costas largas...
Às minhas, porém, vergas nas ilhargas
Fez sua língua de açoite a maldizer!

Inimigo de amigos, sacripanta!
A falsidade d'ele fora tanta,
Que dá repulsa só d'eu me lembrar.

Topar com ele justo aqui e agora
Co'a mesma cara estúpida d'outrora,
Foi só e infelizmente muito azar...

Betim - 10 06 2017