quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

IDAS E VINDAS

IDAS E VINDAS 

____________________________________

IDAS E VINDAS

Se quiseres que eu fique, não me mandes
Ir embora assim como quase nada
Tivesses feito p’ra eu seguir a estrada
Para após anos; para além dos Andes... 

Se fores me deixar, já não andes
Como quem não quer sair do lugar,
Na esperança vã d’eu ir te encontrar
N'uma distância que há tempos expandes.

Se não sabes que queres, não me queiras
À sombra de improváveis castanheiras
Defronte à tua casa te esperando.

Senão, tudo o que tens é tão-só ira...
A mesma que por vezes me ferira
E que me faz partir de quando em quando.

Betim - 05 02 2015