sábado, 22 de abril de 2017

CATA-SONHOS

CATA-SONHOS

Dependurada sobre a minha cama
Uma peneira com ossos e penas.
Onde vejo passar brisas amenas
Antes que o sono traga uma outra trama.

O luar pela janela se derrama
E projeta na mente belas cenas;
Vãs imaginações deixando apenas
Mais poluções noturnas no pijama...

Os sonhos qu'eu aqui tenho sonhado
Sob a aura benfazeja do amuleto
Mostram dores e amores lado a lado.

Pois mesmo meu desejo mais secreto
De mim para mim me era revelado
Quando me cata sonhos esse objeto.

Betim - 21 04 2017