segunda-feira, 31 de outubro de 2016

VICE-VERSA

VICE-VERSA

Este muito diverso ser humano,
Andando tão disperso pelo mundo,
Já aceita o Universo moribundo,
Sem ser sequer um terço de seu plano...

Vê o bem converso em desengano
Torná-lo seu reverso n’um segundo.
Oculta em prosa e verso o mais profundo,
Como se desde o berço assim mundano.

No momento adverso, ele se altera
E feito outro (um perverso!) mais se admira
Do modo controverso que o fizera.

Mas já de todo imerso ao que conspira,
É da medalha o anverso o que se vira:
Ser o inverso do inverso do que era.

Belo Horizonte – 29 09 2009