segunda-feira, 27 de março de 2017

(AB)USADA

(AB)USADA

Dizes que dás às mulheres
Que não te admitem querer
Tudo o que não ousam ter
E d’elas o que quiseres
Fazes sem tal parecer.

Porém, mais lábias que lábios
Tens à mulher que provocas...
Tuas palavras tão ocas
Só pretendem menos sábios
Os corpos que estranho tocas.

Quando a mão que ama machuca
E a boca que beija mente
Tudo que por fim se sente
É o asco da língua à nuca,
Que faz o toque indecente.

Tu não me dás o que quero,
Sim o que queres qu’eu queira.
Tu não me queres inteira,
Se és tudo, menos sincero,
E eu sou tão-só verdadeira.

Queres só qu’eu não me negue
Nas voltas de teus rodeios
Enquanto amassas meus seios,
Não por estar já entregue,
Sim esvaziada de anseios...

Betim – 12 03 2017