quarta-feira, 29 de março de 2017

IBITURUNA

IBITURUNA

Baldeio serras em busca de paisagens,
A ver dos altos, longe, a imensidão.
Por meandros, desce o Doce em direção
Às terras d'onde o mar me traz aragens.

Fico a rememorar nomes e viagens
Dos lugares que tenho por meu chão...
Desde moço correndo esse sertão,
Na sucessão de chuvas e d'estiagens.

Talvez tentasse ver pela distância,
Entre morros e vales, minha infância...
A roça agora apenas na memória...

Mas subo volta e meia a serrania
Mais certo que de lá torno poesia
Essa mirada míope e ilusória.

Gov. Valadares - 12 07 1996