quinta-feira, 16 de março de 2017

DOMUS HELIANTHUS

DOMUS HELIANTHUS                                                                .forma
Talvez por meio de sólidos platônicos --
A saber, o tetraedro mais o cubo --
As paredes de sonho que aqui subo,
Gerassem dois volumes antagônicos.

Suma de ideias e ideais arquitetônicos,
A casa elevada sobre um tubo
Recicla seus resíduos como adubo,
Para nutrir jardins quase amazônicos.

Os telhados pelo ângulo do Trópico
Se inclinando voltados para o sol,
O seguem d'alvorada ao arrebol.

Isso pelo desejo não utópico
D'habitar a casa em movimento
Que gira sobre os trilhos no cimento.

*  *  *
                                                               conteúdo
Tal-qual o girassol buscando a luz,
A casa gira em torno de si mesma.
Embora lentamente, feito lesma,
Voltada para o zênite se induz.

O quarto onde o nascente sol reluz,
Gira para no poente ver o que esma.
Na mesa, manuscritos vãos em resma
Espelham a verdade em versos nus.

Posto o sol, a estrutura continua
O giro de seu trilho sob a lua
Para tornar de novo até o início.

Assim, mudando a vista da janela
Optimiza fachada pois lhe atrela
A energia e o conforto do edifício.

Belo Horizonte - 09 06 1998