terça-feira, 7 de março de 2017

BARRO PRETO

BARRO PRETO

Talvez eu seja feito de lama escura,
Igual a esta que escavo ora do brejo...
Então, a emanação que em chamas vejo,
De almas o fogo santo que fulgura.

Contudo, bem ou mal ando à procura
De tirar do negrume quanto almejo:
É mão que acha no barro o caranguejo
E após, seja o que for, forte o segura!

A argila que desliza pelos dedos
Se lhes imita os vincos e os segredos
Mais o moreno mesmo cá da pele.

De criatura me faço outro criador:
Que homens de barro preto sem valor
Eu minha humanidade assim revele.

Betim - 07 03 2017