sábado, 18 de fevereiro de 2017

DE LAPINHA A TABULEIRO

DE LAPINHA A TABULEIRO

Mais dia, menos dia, a gente entende
De ir contar as estrelas pelas serras
Para trilhar contigo aquelas terras
Onde o olhar à beleza enfim se rende.

Lá, a vida mais viva se pretende,
Distante já do mundo e suas guerras.
Tu d'aqui o quanto antes te desterras
Se dos altos a vista além se estende.

E então, por fundos vales e cachoeiras
Descer riachos de pedras corredeiras
Até topar co'as casas d'um arraial.

Eu agradeço apenas por ter vindo
Até porque o bonito se faz  lindo
Se sei beijar-te a boca no final.

Betim - 16 02 2017