domingo, 26 de fevereiro de 2017

NA ORELHA DO LIVRO

NA ORELHA DO LIVRO

Vejo-me n'essa imagem refletida,
Que ora meus olhos olham através...
Encaro, ora de frente; ora de viés,
A mesma face ao tapa oferecida.

Olho em meus olhos algo envelhecida
A antiga luz revés após revés.
E já não me lastimo d'isso, ao invés,
Enxergo no reflexo a própria vida.

Não me aborrece ver como sou visto,
Apenas me percebo mais do que isto,
Porque quem sou não cabe no meu rosto.

Mas na fotografia eu me transporto
Àquele que serei depois de morto:
O retrato d'alguém n'um livro posto...

Betim - 24 02 2017