quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O NOSTÁLGICO

O NOSTÁLGICO

São sempre as mesmas sombras deletérias
Que vêm pairar por sobre a sua fronte!...
Os homens se reduzem no horizonte
A míseros brigando por misérias.

Desgraças digeridas com pilhérias
Têm por lugar-comum incerta fonte.
Depois, alguém anônimo lhe conte
Tal-qual fazem pessoas não tão sérias.

Não que ainda lhe sirva de consolo,
Mas pensa ser um pouco menos tolo
Revisitar recordos desde o Olvido.

Tudo de todo modo fica triste...
E, no fim, já nem sabe porque insiste
Em viver essa vida sem sentido.

Betim - 23 02 2017