segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

XEQUE-MATE

XEQUE-MATE

Dama branca captura o peão do rei
E lhe encara a coroa frente a frente.
Aquele se retira prontamente,
Ocupando outra casa em sua grei.

Do jogo a regra igual da guerra a lei
Faz com que se lhe poupe tão-somente
A vida ante o desastre ora iminente
Em qu'eu adversamente lhe deixei...

O tabuleiro, campo de batalha
No qual vão medir forças as realezas,
Sem que a púrpura sirva de mortalha.

De facto, entre mesuras e vilezas
Da coroa o vencido rei se valha
A quem desbaratar suas defesas.

Belo Horizonte - 06 06 1997