domingo, 26 de fevereiro de 2017

PEDRA DE TROPEÇO

PEDRA DE TROPEÇO

Porque foste a que pela caminhada
Havia-de levar-me enfim à queda...
Foste, ao me atravessar a só vereda,
A súbita e fatídica parada.

E desde então seguir minha jornada
Seria uma aventura pouco leda,
Cujo curso de vez se desenreda
N'aquela pedra solta em meio à estrada.

Cair d'amores por quem apenas se ama
Parece repetir um velho drama
Que todos já conhecem o final.

Mas trago meu semblante sempre calmo
E trilho esse caminho palmo a palmo
A ver amor e pedra tal-e-qual.

Betim - 25 02 2017