sábado, 11 de fevereiro de 2017

PANO DE FUNDO

PANO DE FUNDO

A ilusão de pôr dentro d'este estúdio
Qualquer lugar do mundo n'uma foto
Faz com que -do mais perto ao mais remoto-
Reinvente-me em memórias de interlúdio.

Quer seja em louvor; quer seja em repúdio,
Já poso para a câmera e nem noto
Que finjo com olhar sério e devoto
Como se ouvisse longe algum prelúdio.

Foto a foto uma volta ao mundo,
Tendo-se apenas por pano de fundo
As mais belas paisagens do planeta.

E esse álbum estranhíssimo que fiz
Passava a falsa ideia de que feliz
Fora tendo os lugares como meta.

Betim - 11 02 2017