quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

AMORES DEIXADOS

AMORES DEIXADOS

Dizem que aqui se faz e aqui se paga,
Mas o amor que se deixa, não tem preço...
Após te amar em vão, ora careço
Recordar-te a promessa um tanto vaga.

Sim, a boca que beija e a mão que afaga
N'um dia são carinho; n'outro, o avesso.
Perdoo, mas esquecer eu não esqueço:
Tão-só deixo sangrar a velha chaga.

Outro dia, porém, eu te desperto
E após te faço ver sem mais rodeio
As dores do que te amo e que te odeio.

Falo de coração já tão aberto,
Que, honestamente, nem me importo mais:
Deixo-te porque já amei demais!

Betim - 05 12 2001