segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

ALCATEIA

ALCATEIA

Homens de meia idade, solitários,
Bebendo n'uma sórdida espelunca...
Divertem-se co'a tal polaca adunca,
Cujos culotes são extraordinários!...

Não têm mais ilusões, pelo contrário:
"Em canoa furada não se junca..."
Pois, livres -- antes tarde do que nunca! --
Se entregam ao instinto  perdulário.

Por álcool, fumo, drogas e mulheres
Descem a este inferninho de prazeres
Como lobos famintos rumo à caça.

Visto o cinismo qu'eles têm por guia,
Em meio a mais patética alegria,
Lhes faz rir de qualquer outra desgraça.

Belo Horizonte - 08 09 2004