domingo, 4 de dezembro de 2016

AMPULHETA

AMPULHETA

Não te demores, minha linda amante,
Em gozar no meu corpo os teus prazeres.
Os grãos da vida caem sobre os quereres
A ocultar-nos o amor de instante a  instante...

Não deixes de sentir no peito arfante
Um encanto maior vir sem o souberes
E aceita-me, mulher entre as mulheres,
Os meus olhos nos teus olhos bem diante.

O tempo que nos passa, todavia,
Parece correr mais rápido e em vão
Agora que te sei no coração.

Apressa-te! Ou senão nossa alegria
Permanecer-nos-á uma lembrança,
Enquanto cada grão de mim se lança...

Betim - 03 12 2016