segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

BÚSSOLAS

BÚSSOLAS 

O que norteia a agulha nos norteia 
Também a nós por essa imensa esfera,
Cujo campo magnético, a Ionosfera,
Há quem perceba como uma cadeia.

Dizem que até o sangue pela veia
Lhe sente a direção na qual impera.
Mas seja isso razão; seja quimera,
Algo que homem e Cosmo intermedeia.

Guiados por um comando bem remoto,
Tudo é executado com certa ordem,
Ainda que o motivo seja ignoto...

Assim veem superar caos e desordem
Por corações e mentes em controlo,
Qual agulha que aponta sempre o polo!

Betim – 19 12 2004