sábado, 17 de dezembro de 2016

RETROGOSTO

RETROGOSTO

O gosto que me fica pela boca
Depois de te beijar perdidamente
Ainda permanece em minha mente,
Embora entorpecida e já meio oca.

Tua língua se à minha língua toca
Parece ora agridoce; ora adstringente...
O que jamais me deixa indiferente,
Antes mais me vicia e me provoca.

Beijos que como um vinho capitoso
Eu degusto com máximo prazer,
Ainda que me embriague d'esse gozo.

Quisera enfim n'um hausto te sorver
E sentir teu desejo assim gostoso
Aos poucos pela boca ir se perder.

Betim - 11 11 2006