quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

URGÊNCIAS

URGÊNCIAS

Não tardes mais, amada, a vir me ver!
Depois de tantos anos tão ausente,
Voltaste à minha vida de repente
Para me confundir e me envolver?!

Duas vezes mais triste há-de viver
Aquele que algum dia foi contente...
Pudera eu encontrar-te novamente
Por mais felicidade e mais prazer.

Senão, todos os dias d'oravante
Serão por lamentar aquele instante
No qual me interrompeste a soledade:

Antes eu não sentia a tua falta;
Agora, teu sorriso aos olhos salta
N'um afã de esperança e de saudade.

Belo Horizonte – 30 12 2005