quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

APALAVRADA (sic) RIQUEZA

APALAVRADA (sic) RIQUEZA

Quantas vezes, igual um avaro, eu
Contemplara poéticos tesouros?...
Em gavetas, prolíficos, meus ouros
Como as barcas do escravo do Pireu!

Eu sou alguém que a si mesmo colheu
Uma fortuna crítica sem louros
Aos versos que o Eu-Agora e os Eus-Vindouros
Têm diversos sentidos ao que é meu.

Mesmo os tendo por ouro verdadeiro,
Vos dou como alguém co'os bolsos furados
Deve andar por aí a perder dinheiro...

Se a vós ouro de tolo, validados
Foram não por quilates,  mas inteiro
O fiel onde meus eus serão pesados.

Betim - 04 07 1999