terça-feira, 20 de dezembro de 2016

RAIO DE SOL

RAIO DE SOL

O pó que se acumula na mobília
Captura a luz na fresta da janela.
São milhões de corpúsculos aquela
Réstia a luzir tal-qual dourada trilha.

Percebo a rarefeita maravilha
Em fluidificada luz então mais bela,
Que lento movimento se revela
A olhos semicerrados em vigília.

A janela d'uma única bandeira
Deixava o sol entrar no quarto escuro
Espremido por tábuas de madeira.

Parecia o sol raiar assim mais  puro
Como quisesse já d'essa maneira
Me dar toda a alegria que procuro.

Inhapim - 12 09 2002