quarta-feira, 23 de novembro de 2016

ANTIMUSA

ANTIMUSA

Não me fales d'amor velhas mentiras;
As mesmas com que um dia me cegaste!...
Mais nunca o teu estandarte na minha haste
Tampouco os versos vãos que tu me inspiras.

Por ti, já não dedilham suas liras
Os poetas que, como eu, tu enganaste.
Não passa como novo um velho traste:
Esquece-me, conforme preferiras.

D'aquele amor, alguns poucos resquícios
Nos restem pelas poeiras dos caminhos
Enquanto prosseguimos tão  sozinhos.

Quiçá entorpecido em tantos vícios
Deixe de desejar-te d'uma vez,
Sem mais ceder à tua insensatez.

Betim - 20 12 2010