terça-feira, 15 de novembro de 2016

FAZER O AMOR

FAZER O AMOR

Como fazer sensível algo abstracto
Senão como uma forma de carinho?
O toque em tua pele haja o caminho
Para unir duas carnes com um acto.

Pode ser dando sangue para o pacto
Ou apenas não querer gozar sozinho.
Teus beijos, tão mais doces do que o vinho,
Ao pôr as nossas almas em contacto.

Como é doce fazer o amor amando!
Como é bom em teus braços, quando em quando,
Eu poder sentir que amo e sou amado.

Por fim, o amor se faz encontro humano
Ao ser compartilhado, salvo engano,
Nos prazeres que um ao outro temos dado.

Betim - 15 02 2009