segunda-feira, 14 de novembro de 2016

BEM-TE-VI

BEM-TE-VI

Surpreendera-me ao andar pelo telhado
Aquele passarinho mais singelo.
Tinha o peito retinto de amarelo
E cada olho de preto mascarado.

Esse mexeriqueiro só e alado
Vinha me acompanhar em meu desvelo:
Amanhencia o dia, bom e belo,
Quando ele veio cantar bem do meu lado.

Parecia inusitado a ele eu ali
Na altura do telhado; na alva aurora...
Admirando o nascer do sol em si.

Como a me denunciar, não ia embora;
Ficava repetindo: "Bem te vi!"
Só por estar do lado cá de fora...

Betim - 13 11 2016