sexta-feira, 18 de novembro de 2016

O NEFELIBATA

O NEFELIBATA

Se sua mente está nas nuvens altas,
Feliz é por todo o céu por sobre...
Vê razões que a Razão já não descobre
No desvario irreal de ideias incautas.

Às voltas sempre com culpas e faltas,
Vã-filosofava sobre algo mais nobre
Mas o que vê se a pálpebra ao olho cobre
Se lhe faz escrever pautas e pautas.

Habita a sua torre de cristal
Enclausurado como se algum monge
Cujo olhar perde cada vez mais longe.

Simbolisticamente, vive o Ideal.
E enquanto divagar seu pensamento
Segue peleando com moinhos de vento.

Belo Horizonte - 15 08 1995