sexta-feira, 25 de novembro de 2016

PERSONÆ

PERSONÆ

Eu sou eu. Mas sou mais uns outros três:
Sou um fora de mim; dentro, outro alguém.
Livre espírito muito aquém e além...
Barro e sopro que máscara se fez.

Não sou nada. Nunca o serei talvez.
Ser? Eu sou TODO MUNDO e sou NINGUÉM;
Sou Eu-mesmo e Outros-Eus eu sou também.
Quem, um em um milhão, de dez em dez.

Ser aparência, essência e transcendência
É existir, o mais é inconsciência,
Em meio a pouca leitura e muita loa.

O esquisito escultor de tantas máscaras
Navegara preciso às obras pássaras
D’esse Super-Camões feito PESSOA.

Belo Horizonte – 02 03 1998