segunda-feira, 14 de novembro de 2016

TESOURO DA JUVENTUDE

TESOURO DA JUVENTUDE

Os versos que escrevi quando mais moço
Releio agora um tanto comovido.
Confuso é lembrar quem soube eu ter sido
Sem me chocar o máximo que posso...

Havia dentro em mim muito alvoroço
Diante de cada verso revivido,
Por trazê-los de volta desde o olvido
Como se jóias no fundo d'algum poço.

Memórias imprecisas-mas-preciosas
-- Pois, mais que importantíssimos eventos
Contêm a descrição de sentimentos --

São, literariamente, pretenciosas...
Muito embora aos meus olhos valham ouro.
As obras juvenis d'esse tesouro.

Betim - 14 11 2016