quinta-feira, 17 de novembro de 2016

MÃO A MÃO

MÃO A MÃO

Não se traduz amor em poesia
Tanto quanto amizade enreda prosa...
A vida pode ser maravilhosa,
Se caminharmos juntos algum dia.

Dá cá a tua mão... Sê minha guia!...
Mesmo distante a aurora que o olhar goza,
Nossos passos na estrada pedregosa
Deixam pegadas p'la poeira vazia.

A vida apenas segue sem chegar;
A morte não é meta: Cerra o olhar!...
E andamos mão a mão até aqui.

O vento apagará rastros na estrada
E o mundo esquecerá nossa jornada,
Mas não me esquecerei nunca de ti

Betim - 23 05 1997